MÓDULO DE CONTROLE DE GRATUIDADES

MÓDULO DE CONTROLE DE GRATUIDADES

biometrial

Conceito

 

Para atender a demanda do mercado a PRODATA MOBILITY BRASIL desenvolveu uma solução tecnológica baseada nas características biométricas dos indivíduos, mediante a identificação da impressão digital e facial, para o controle do uso dos cartões com direitos a gratuidades, ou seja, aos benefícios tarifários concedidos pela legislação vigente.

 

Estas tecnologias podem ser utilizadas de forma individual ou de forma conjunta, dando assim maior confiabilidade e transparência no uso dos benefícios concedidos.

 

O uso conjunto da tecnologia digital e facial permitirá agilizar a operação na identificação do usuário, e reduzir eventuais constrangimentos que possam ser provocados pela não identificação da impressão digital.

 
 
 

Aplicação

 

Controle do uso dos cartões com direito a benefícios tarifários de:

 

  • estudantes,
  • idosos,
  • portadores de deficiências físicas e acompanhantes,
  • integrações temporais, etc.

 

Identificação Biométrica da Impressão Digital

 

A solução de biometria de reconhecimento da impressão digital está subdividida em dois módulos: módulo embarcado que compreende o dispositivo responsável pela leitura da impressão digital, denominado Leitor Biométrico, o qual incorpora um leitor térmico que vem apresentando ótimos indicadores de resultado, e o módulo de cadastro, denominado “Finger Collector”, que é um aplicativo específico que permite a interação entre o leitor biométrico e o cadastro do usuário junto à base de dados do sistema de bilhetagem (back-office).

 

O leitor biométrico atua como equipamento periférico que realiza a leitura da impressão digital em tempo real, de acordo com o padrão (algoritmo) estabelecido e transfere a leitura para o validador que processa a informação e compara com a impressão digital gravada no cartão. Este equipamento não possui memoria e nem tem capacidade lógica para interpretar e/ou processar a informação, mas tem DLL que interpreta o “template“ da biometria e uma porta serial para comunicação com o equipamento máster (PC, validador, etc).

 

A utilização deste dispositivo para identificação dos usuários com direito a benefícios tarifários tem apresentado excelente resultados, verificando-se um índice de rejeição de aproximadamente 7%.

 

Como causa deste índice, podem ser citados os seguintes motivos para rejeição:

 

  • Uso indevido do cartão (o portador não é o mesmo da impressão registrada no cartão);
  • Falha no cadastro do usuário;
  • Falha na leitura da impressão digital.

 

 Identificação Biométrica Facial

 

Trata-se da tecnologia de avaliação das características faciais de uma pessoa por imagem. A face humana possui variáveis que permitem detectar pontos em comum como distância dos olhos, formato e comprimento do nariz, boca, bochechas e queixo, definindo o formato facial e suas medidas que serão utilizados como fatores de checagem.

 

O algoritmo de reconhecimento facial é capaz de comparar duas imagens e aferir a probabilidade de similitude, ignorando o plano de fundo que compõem a imagem. Isso inclui imagens tiradas em movimento e de ângulos diferentes.

 

A biometria facial conta com um conjunto de aplicativos para o seu completo fluxo que desempenham as funcionalidades abaixo:

 

Face Enroll

  • Captura da imagem para armazenamento no cadastro do usuário;
  • Processamento de templates com base na imagem cadastrada

 

Download Image e Image Processor

 

  • Download das imagens capturadas durante a utilização do usuário;
  • Processamento das imagens e armazenamento no banco de dados;

 

Face Recognition Matching Service

 

  • Serviço automatizado de comparação das imagens capturadas com a imagem existente no cadastro do usuário;
  • Classificação das imagens baseado nos níveis definidos como limiares de auditoria;

 

Face Recognition Manager

 

  • Permite avaliação humana das imagens não reconhecidas automaticamente;
  • Emissão de laudos comprobatórios do uso indevido;
  • Bloqueio do cartão por uso indevido;

 

Cada cliente deve definir quais aplicações (tipo de cartão) terão as imagens dos usuários capturadas e a quantidade de imagens por transação a serem registradas no processo de validação. Por possuir uma verificação posterior, não é realizado nenhum tipo de bloqueio do usuário durante a utilização.