2013 – À BEIRA DO ABISMO

2013 – À BEIRA DO ABISMO

Asas-SP-Anuncio-07-202x266mm Revista Folha.indd
A peça teatral “À Beira do Abismo me Cresceram Asas”, com dramaturgia, direção e interpretação de Maitê

Proença, depois de estrear no Rio de Janeiro, passou por São Luís (MA), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e esteve em cartaz no Teatro FAAP por dois meses e meio.

Agora, devido ao sucesso de público e crítica, o espetáculo reestreia no Teatro Itália no dia 30 de agosto sexta-feira em temporada até 10 de novembro.

O texto poético, repleto de emoção e bom humor, leva o público às gargalhadas com o diálogo entre Terezinha (Maitê Proença) e Valdina (Clarisse Derzié Luz). Sem as máscaras habituais da juventude, sem qualquer cerimônia, as personagens falam sobre qualquer assunto – sexo, diferenças entre homens e mulheres, abandono, o bom e o ruim.

Embora diferentes na personalidade, Terezinha (86) e Valdina (80) têm em comum a praticidade dos que aprenderam a simplificar a vida, já que não há tempo para complicá-la. Valdina leva o dia a dia com otimismo, sem nostalgias, mas não se engane, ela carrega um grande segredo. Terezinha é de temperamento carrancudo, ainda que bem resolvido.

 

Maitê Proença criou o texto que faz refletir sobre o tempo, as emoções da vida, a solidariedade e a importância de compartilhar, em um misto de humor e delicadeza.

 

O lado escritora de Maitê Proença paralelamente à carreira de atriz, e dramaturga, Maitê segue seu trabalho como escritora. O terceiro livro de sua carreira, É duro ser cabra na Etiópia, já nas livrarias, pela editora Agir, apresenta aos leitores uma nova faceta em sua trajetória: a de editora.

 

Maitê foi quem selecionou os textos que compõe o livro, a partir de mais de 2000 crônicas enviadas a ela, por meio de um sitecriado especialmente para receber Eduardo Agualusa, Tatiana Salem Levy, Clarisse Niskier, Jorge Forbes, Carlos Heitor Cony e a própria Maitê. O projeto gráfico, absolutamente original, foi criado por Maitê junto aos designers da Cubículo, com páginas coloridas que foram diagramadas individualmente.

 

Os temas e estilos variam ao se adequar às duas regras impostas por Maitê: textos curtos de até 1.500 caracteres, e que contenham humor.

 

“À BEIRA DO ABISMO ME CRESCERAM ASAS” – FICHA TÉCNICA

Autora: Maitê Proença

Ideia original: Fernando Duarte

Supervisão Direção: Amir Haddad

Direção: Clarice Niskier e Maitê Proença

Elenco: Maitê Proença e Clarisse Derzié Luz

Cenário: Cristina Novaes

Desenho de Luz: Jorginho de Carvalho

Figurinos: Beth Filipecki

Trilha Sonora: Alessandro Perssan

Direção de Movimento: Angel Vianna

Preparação Vocal: Rose Gonçalves